sexta-feira, 15 de abril de 2011

FELIZ ANIVERSÁRIO!!!




Eterno Carlitos, o adorável vagabundo. Leia sua história clicando aqui.





O Caminho da Vida


O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém nos extraviamos.

A cobiça envenou a alma dos homens... levantou no mundo as muralhas do ódios... e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e morticínios.

Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria.

Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis. Pensamos em demasia e sentimos bem pouco.

Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido.

(O Último discurso, do filme O Grande Ditador)


Charles Spencer Chaplin.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Com a alegria das chuvas, principalmente aqui no meu sertão, vem a tristeza da terrível doença transmitida pelo Aedes aegypti.

A Dengue alastra o país inteiro e, por isso, é temática relevante seja nas rodas de conversa, seja nas campanhas publicitárias de destaques do Governo Federal.

Assim, para que o vírus não se espalhe é preciso combater seu único transmissor: o mosquito. Muitos conhecem suas características, reprodução, meios de combate e ação transmissora. Contudo, é desconhecida sua história, suas primeiras vítimas, epidemias. Neste cenário, é válido expor que a Dengue foi controlada em nosso país na década de 50, mas voltou a tona com o aumento da ocupação das cidades.

Daí a preocupação em inserir a temática em sala de aula para prevenir e tratar por meio da educação, em seu meio institucionalizado, a epidemia de Dengue que afeta o país. Nisto, professores e gestores tem a tarefa da interdisciplinaridade e da contextualização, tão defendida pelos especialistas educacionais.

Inúmeras ideias circulam nas mentes dos educadores e com o auxílio da internet é possível colocá-las em prática, a partir da visulização de práticas efetuadas em outros lugares. Além disso, a ferramenta serve, também, como meio de divulgação e compartilhamento de alternativas para o ensino.

Em sala de aula na disciplina História, dá para construir uma Linha do Tempo situando o surgimento do mosquito e dos primeiros locais atingidos.

Não fugindo ao aforismo e ao chavão: "É melhor prevenir do que remediar" e vamos lá combater o mosquito. "Todos contra a Dengue!".

Abraços.

domingo, 3 de abril de 2011


"_ O universo é totalmente contrário, nisto os homens se alicerçam nas dualidades."

Ela esta ali recostada num canto concatenando ideias contrárias, sentindo o universo, observando as suas dualidades.

Ir/Ficar. Pensar/Agir. Juntar/Separar. Escrever/Apagar. Ler/Fechar. Acrescentar/Dividir. Saudável/Doente. Bom/Ruim. Choro/Riso. Luz/Sombra. Vida/Morte. (...)/(.). (?)/(!).

E agora? Agora/Depois?

Agora!

"_ Como viver sem as duas faces do universo?"

Sem a morte não existiria vida. Aliás, sem a morte a vida não teria começo.

E a tristeza, o poeta dizia: "Tristeza não tem fim. Felicidade sim." A felicidade vem e traz junto a tristeza. Às vezes a tristeza se adianta abrindo espaço para a felicidade. Por vezes é o inverso. "(Contrários...)"

"_ A luz sempre produz sombras". Conexões dispersas interdependentes, produzindo visões múltiplas, duais.

"É errando que se aprende (ou a continuar errando ou a acertar)!".

Ah, insconstâncias. Invisíveis, dispersas, distantes aconchegam-se ocupando o maior espaço possível como gotas de água na terra seca. Não é possível viver sem elas.

Ela acorda. Sai do canto. Vai dormir.