quinta-feira, 14 de abril de 2011

Com a alegria das chuvas, principalmente aqui no meu sertão, vem a tristeza da terrível doença transmitida pelo Aedes aegypti.

A Dengue alastra o país inteiro e, por isso, é temática relevante seja nas rodas de conversa, seja nas campanhas publicitárias de destaques do Governo Federal.

Assim, para que o vírus não se espalhe é preciso combater seu único transmissor: o mosquito. Muitos conhecem suas características, reprodução, meios de combate e ação transmissora. Contudo, é desconhecida sua história, suas primeiras vítimas, epidemias. Neste cenário, é válido expor que a Dengue foi controlada em nosso país na década de 50, mas voltou a tona com o aumento da ocupação das cidades.

Daí a preocupação em inserir a temática em sala de aula para prevenir e tratar por meio da educação, em seu meio institucionalizado, a epidemia de Dengue que afeta o país. Nisto, professores e gestores tem a tarefa da interdisciplinaridade e da contextualização, tão defendida pelos especialistas educacionais.

Inúmeras ideias circulam nas mentes dos educadores e com o auxílio da internet é possível colocá-las em prática, a partir da visulização de práticas efetuadas em outros lugares. Além disso, a ferramenta serve, também, como meio de divulgação e compartilhamento de alternativas para o ensino.

Em sala de aula na disciplina História, dá para construir uma Linha do Tempo situando o surgimento do mosquito e dos primeiros locais atingidos.

Não fugindo ao aforismo e ao chavão: "É melhor prevenir do que remediar" e vamos lá combater o mosquito. "Todos contra a Dengue!".

Abraços.

Nenhum comentário: